Gil do Big Brother 2021 tem uma vida triste antes do reality. Seu pai abusava dele na infância. Ele bebia e descontava na esposa e no filho. Antes do BBB 21, Gilberto teve que enfrentar muitas dificuldades. O brother começou a trabalhar cedo e se focou nos estudos para superar as adversidades. Agora no Big Brother Brasil, Gil se mostra muito feliz, mas sua mãe revelou alguns segredos do passado dele. Gilberto inclusive chegou a ter duas noivas e por pouco não se casou.

Desde que botou os pés na casa do “BBB 21”, Gilberto vem conquistando o público com seu jeito irreverente. Mas a vida do pernambucano de 29 anos não foi só alegrias e sorrisos. Pelo contrário. Gil passou por muitas dificuldades e traumas na infância, quando via o pai, então viciado em álcool e drogas, batendo na mãe. As agressões se estendiam a ele, caçula dos três filhos da nordestina Jacira Santana. Ficou curioso? Confira! Isso e muito mais você só encontra aqui!

Hoje, o brother não tem mais contato com o pai. Foi Jacira quem criou ele e as duas irmãs com o salário de doméstica, auxiliar de cozinha e de serviços gerais, no município de Jaboatão dos Guararapes, na Região Metropolitana do Recife, onde nasceu.

“Morávamos de aluguel na época e eu tinha que comprar comida e sustentar a casa. Não tinha dinheiro para roupa. Gilberto só tinha uma calça e uma camisa verde, que ele ganhou e que usava em todos os lugares. Ele foi crescendo, e só usava essa mesma roupa. Na época, chamávamos ele de ‘esperança’, por conta da cor da camisa e da calça”, lembra Jacira, que atualmente está desempregada: “Mas ele nunca chorou pedindo algo. Sempre foi uma criança compreensiva”.

Diante de tal realidade, Gilberto foi à luta e conseguiu um primeiro trabalho, aos 15 anos, como auxiliar de garçom. O dinheiro que ganhava ia todo para as despesas da casa. Aos 16, Gil ingressou numa corretora de seguros como auxiliar administrativo e as coisas começaram a melhorar. Como não tinha computador em casa, chegava mais cedo no trabalho para estudar para o vestibular. Incentivado pela mãe, passou no curso de Economia na Universidade Federal de Pernambuco, onde hoje faz doutorado. O foco nos estudos foram, por muitos anos, divididos com a dedicação à igreja. Aos 10, se tornou mórmon e trabalhou por dois anos como missionário, visitando periferias de São Paulo. Ao retornar da missão, decidiu revelar sua homossexualidade publicamente.

O assunto, aliás, nunca foi um tabu para dona Jacira, que sempre acolheu o filho. “Gil sempre foi muito respeitado aqui na bairro. Ele só sofreu preconceito mesmo quando criança, adolescente e já adulto por algumas pessoas da igreja que ele frequentava”, conta Jacira, acrescentando que o o filho chegou a ter duas noivas e por pouco não se casou: “Ele foi noivo de uma quando foi para a missão e de outra quando retornou. Mas isso não ia dar certo. Hoje, elas estão casadas”.

Confira url do vídeo no YouTube: https://www.youtube.com/watch?v=lAbAqmPnqFI

Compartilhe.
Avatar de Cristina Leroy Silva

Formada em letras pela UNICURITIBA, Cristina Leroy começou trabalhando na biblioteca da faculdade como uma das estagiárias sênior. Trabalhou como revisora numa grande editora em São Paulo, onde cuidava da parte de curadoria de obras que seriam traduzidas/escritas. A 4 Anos decidiu largar e se dedicar a escrever em seu blog e sites especializados