Ah, a doce liberdade de viajar. Quem não ama? O sabor da comida local, as vistas deslumbrantes, a chance de sair dizendo “Bonjour” ou “Ciao” a estranhos, e sentir-se como um cidadão do mundo. 

Mas antes de você sair por aí jogando confete na mala e gritando “Viva as férias!”, temos que falar sobre o elefante na sala, ou melhor, o elefante na sua bagagem. 

Planejar uma viagem internacional não é apenas escolher o destino e reservar os voos. Não, não, não. É uma arte, um verdadeiro teste de sua memória e atenção aos detalhes. E é aqui que entram as 7 coisas que seu cérebro decide esquecer ao planejar uma viagem internacional.

Pegue um caderno, sua caneta favorita (ou abra o bloco de notas do seu celular, estamos no século 21, afinal), prepare-se para rir e aprender ao mesmo tempo, porque aqui estão as 7 coisas que seu cérebro adora esquecer quando se trata de planejar uma viagem internacional.

1. Passaporte, quem?

Imagine a cena. Você está sorrindo de orelha a orelha, malas prontas, sonhando com as deliciosas empanadas que você vai devorar na Argentina.

Mas então, no momento de fazer o check-in online, você percebe que seu passaporte está vencido. Surpresa! Nada de empanadas para você!

Agora, você vai gastar seu tempo precioso de férias renovando um passaporte em vez de explorar a beleza do “Paris da América do Sul”. Não é bem a experiência internacional que você estava esperando, né?

Parece ridículo, certo? Mas acredite em mim, acontece muito mais do que você imagina. A verificação do passaporte é o primeiro passo e, talvez, o mais esquecido no planejamento de uma viagem internacional.

Portanto, antes de você começar a sonhar com suas aventuras estrangeiras, tire um momento e dê uma olhada nesse livrinho azul (ou verde, ou vermelho, dependendo de onde você é).

Verifique a data de validade e certifique-se de que ela será válida pelo menos seis meses após a data prevista para o fim da sua viagem.

Agora, respire fundo, e se o seu passaporte estiver prestes a expirar, não se preocupe! Renovar não é um bicho de sete cabeças.

Apenas faça isso antes de reservar aquele voo irresistível e evite a tristeza de cancelar a viagem dos seus sonhos de última hora. Agora, sim, você pode voltar a sonhar com suas empanadas. Bom apetite!

2. Um banquete de snacks

Fome. Nós todos sabemos como é. Especialmente aquela fome de viagem que te ataca quando você está preso a 10.000 metros de altitude, em um avião lotado.

Você olha para a direita, olha para a esquerda, mas tudo que vê são pacotes vazios de amendoim e rostos satisfeitos. Você, meu caro viajante, acabou de aprender da maneira mais difícil: a fome não tem hora para atacar.

Então, por que não evitar esse drama de estômago vazio e preparar um banquete de snacks leves para a viagem?

Granola, barras de proteína, frutas secas, até mesmo aquele chocolate que você tanto ama, tudo isso pode ser o seu salvador em um voo longo (ou quando você estiver preso na fila da imigração, sem ter certeza se aquele “rápido lanchinho” que você planejou vai acontecer nas próximas três horas).

Não só você vai se sentir um super-herói de capa invisível, pronto para qualquer emergência gastronômica, como também poderá economizar alguns trocados evitando a tentação de comprar lanches caros no aeroporto. Sim, você. Eu te vejo olhando para aquela fatia de pizza que custa o preço de um rim.

Então, faça um favor a si mesmo e à sua carteira, abasteça-se de lanches deliciosos e práticos. E quando aquela fome de viagem te atacar, você estará pronto para enfrentá-la. Vá em frente, viajante faminto, saboreie sua vitória!

3. A língua do “não sei”

Ah, a experiência autêntica de viajar. O sabor das comidas locais, a melodia do idioma, as interações genuínas com as pessoas… tudo isso até você pedir um “Pollo” pensando que era frango e acabar com um prato cheio de polvo. Ops!

Isso é uma lição que todos aprendem da maneira mais difícil, cedo ou tarde: aprender algumas palavras básicas do idioma local é essencial.

Não estou falando de dominar a gramática ou entender a literatura clássica, apenas o básico. Coisas como “Oi”, “Obrigado”, “Onde é o banheiro?” e, muito importante, “Eu sou alérgico a…” podem te salvar de situações inesperadas e até mesmo constrangedoras.

Além disso, acredite, seus esforços para se comunicar no idioma local farão os habitantes sorrirem e te receberem de braços abertos.

Afinal, quem não ama ver um turista tropeçando nas palavras e fazendo gestos engraçados enquanto tenta pedir uma garrafa de água?

Então, tire um tempo antes da viagem para aprender um pouco da língua local. Seja por meio de um aplicativo de aprendizado de idiomas ou apenas usando um dicionário, esse esforço pequeno mas significativo pode transformar sua viagem e, quem sabe, até mesmo te salvar de experimentar pratos exóticos sem querer!

4. “Eu não preciso do seguro de viagem”

Eis a grande armadilha: o seguro de viagem. Sim, sim, nós sabemos. Você é jovem, está em forma, mal se lembra da última vez que ficou doente.

Por que diabos você gastaria dinheiro com seguro viagem? Não é como se você planejasse se jogar na frente de um ônibus, certo?

Bem, aqui vai um segredo: os acidentes não se importam com seus planos. Eles simplesmente acontecem. Um passo em falso na trilha, uma alergia alimentar desconhecida, uma dor de dente insuportável no meio da noite… Estas são as situações em que você vai desejar ter comprado aquele seguro viagem “inútil”.

A realidade é que os custos médicos no exterior podem ser assustadoramente altos, e mesmo uma visita simples ao médico pode acabar com suas economias de viagem.

Então, faça um favor a si mesmo e invista em um bom seguro de viagem internacional. Pense nisso como um cinto de segurança.

Você pode não precisar dele a maior parte do tempo, mas quando precisar, você vai agradecer por estar usando.

E, claro, lembre-se de ler a apólice do seguro cuidadosamente. Assegure-se de que ele cobre todas as atividades que você planeja fazer, desde nadar com tubarões até escalar montanhas, porque nunca se sabe quando a aventura pode dar uma reviravolta inesperada.

Então, proteja-se e aproveite sua viagem sem preocupações! Afinal, a única surpresa que você deveria ter em suas férias é aquela maravilhosa sobremesa que você não sabia que precisava até experimentar.

5. Ah, o doce sabor da conexão

As férias são uma ótima oportunidade para se desconectar do mundo digital e se reconectar com a natureza. Afinal, quem precisa de Wi-Fi com uma vista deslumbrante bem na sua frente, certo?

Bem, essa é a ideia até você se perder na tradução, tentando encontrar aquele restaurante que sua tia recomendou e que “você absolutamente precisa visitar” ou quando você perceber que está perdido em uma cidade estrangeira. É aí que você desejará ter feito um plano para sua conexão de internet.

Não, não estou sugerindo que você compre o pacote de dados mais caro ou confie no custo absurdo de roaming do seu provedor de serviços.

Em vez disso, planeje com antecedência. Verifique se o seu hotel oferece Wi-Fi gratuito ou considere a compra de um chip de viagem internacional. Outra opção é alugar um dispositivo Wi-Fi portátil que pode ser entregue no seu hotel ou aeroporto de chegada.

E, lembre-se, não é apenas sobre estar conectado. É também sobre evitar surpresas desagradáveis na sua conta de celular quando voltar para casa.

Porque, acredite em mim, a última coisa que você vai querer depois de umas férias relaxantes é se deparar com uma conta de celular que parece um número de telefone.

Então, seja inteligente. Planeje sua conectividade com antecedência e aproveite a tranquilidade de saber que você pode acessar o Google Maps ou postar aquela foto perfeita no Instagram quando quiser. Afinal, quem vai acreditar que você realmente viu o Coliseu se não postar uma selfie com ele, não é mesmo?

6. A dança do clima

Sabe aquele ditado, “Não há mau tempo, apenas roupas inadequadas”? Pois bem, isto é especialmente verdade quando você está viajando.

Planejar a roupa certa para o seu destino pode parecer uma tarefa fácil, mas é aqui que muitos viajantes se atrapalham.

Imagine chegar à Noruega em janeiro vestindo shorts e chinelos porque você esqueceu de verificar o clima. Pode ser uma surpresa bem… gelada!

Então, faça um favor a si mesmo: verifique a previsão do tempo para o seu destino antes de começar a fazer as malas.

Assim, você vai se preparar para as condições climáticas que encontrará lá. E, mais importante, você não vai acabar como um cubo de gelo humano em Oslo ou um derretido humano em Dubai.

Além disso, lembre-se de levar em consideração a variabilidade do clima. Mesmo que você esteja visitando um destino tropical, uma chuva inesperada pode acontecer e você ficará grato por ter aquela capa de chuva compacta na bolsa. Ou, se você estiver indo para um destino de inverno, as camadas são suas melhores amigas.

Então, seja um dançarino do clima habilidoso, não um sapateado climático desajeitado. Verifique a previsão, planeje suas roupas de acordo e esteja pronto para qualquer tipo de música que o clima tocar para você. Afinal, uma dança bem dançada é muito mais divertida, não é?

7. O fim inesperado do cartão

Então você está lá, vivendo o sonho. Andando pelas ruas de Tóquio, deliciando-se com sushi fresco e descobrindo todos os encantos que a cidade tem a oferecer.

Você decide comprar aquela lembrança perfeita, um lindo quimono de seda, para levar para casa. Você passa o cartão e… negado. Surpresa! Seu banco pensou que seu cartão tinha sido roubado e o bloqueou. Adeus, quimono de seda.

Pode parecer exagero, mas isso acontece com mais frequência do que você imagina. Os bancos estão sempre em alerta para atividades suspeitas, e transações estrangeiras repentinas costumam acionar todos os tipos de alarmes.

Então, para evitar que sua festa do cartão seja abruptamente interrompida, informe seu banco sobre seus planos de viagem antes de partir.

Desta forma, eles saberão que você está de férias e não bloquearão seu cartão ao ver transações internacionais.

Além disso, é sempre uma boa ideia levar mais de uma opção de pagamento. Isso pode ser outro cartão, dinheiro em moeda local ou até mesmo cheques de viagem.

Portanto, não permita que um quimono de seda inalcançável se torne o símbolo de suas férias. Avise seu banco, prepare-se com opções de pagamento e continue a festa do cartão. Afinal, você está de férias e merece aproveitar ao máximo!

Finalizando

E assim, queridos viajantes, chegamos ao fim desta jornada divertida e repleta de dicas essenciais sobre o que as pessoas mais esquecem ao planejar uma viagem internacional. Esperamos que você tenha se divertido e, ao mesmo tempo, tenha absorvido essas importantes lições.

Lembre-se, planejar uma viagem internacional vai muito além de escolher o destino e reservar os voos. É um verdadeiro teste de memória e atenção aos detalhes.

Verificar a validade do passaporte, preparar lanches para viagem, aprender algumas palavras no idioma local, adquirir um seguro de viagem, planejar sua conectividade, verificar o clima e informar o banco sobre seus planos são passos cruciais para garantir uma viagem tranquila e cheia de boas lembranças.

E não se esqueça, embora seja importante levar essas dicas a sério, também é essencial manter um bom senso de humor. Afinal, os erros de viagem podem render histórias engraçadas e memórias para a vida toda.

Então, que suas futuras viagens sejam repletas de aventuras, risadas e momentos inesquecíveis. Não se esqueça de verificar esses itens da lista e prepare-se para explorar o mundo de forma mais inteligente e divertida. Boa viagem e que suas lembranças sejam tão brilhantes quanto o sol sobre o horizonte de um novo destino!

Compartilhe.
Avatar de Cristina Leroy Silva

Formada em letras pela UNICURITIBA, Cristina Leroy começou trabalhando na biblioteca da faculdade como uma das estagiárias sênior. Trabalhou como revisora numa grande editora em São Paulo, onde cuidava da parte de curadoria de obras que seriam traduzidas/escritas. A 4 Anos decidiu largar e se dedicar a escrever em seu blog e sites especializados