Dicas para pescadores de 1ª viagem: Por que comprar um barco de alumínio?

dicas-pescadores

Terá início, ao final de fevereiro, em diversos estados brasileiros, a temporada de pesca 2021. Passado o tempo de Piracema (restrição pelos períodos de reprodução natural dos peixes), os pescadores mostram-se empolgados para começar as atividades.

Esse cenário ainda se expande para os de primeira viagem que precisam se ajustar com os materiais e os pontos de pesca. Adentrar ao mundo da pesca esportiva não é uma tarefa fácil, mas sua experiência pode ficar bem mais descomplicada com as dicas abaixo:

Como conseguir um bom pirangueiro?

Antes de pensar em um bom barco de pesca e até em uma boa artilharia (mais conhecido como tralha), é preciso cotar um bom pirangueiro. Pirangueiros são pessoas que facilitam à ida aos pontos de pesca e os acompanham na jornada. Estes profissionais lidam com o manuseio dos objetos até o ato de escolher a melhor localidade para lançar o anzol e capturar uma maior diversidade de peixes. Além de que são ótimas companhias para uma boa prosa.

Qual barco escolher?

Caso você queira adentrar neste universo, é necessário investir em um bom barco de pesca. Ele será sua base para a execução de boas empreitadas águas afora. Não importa se a pesca vai ocorrer em região de rio, lago, mar ou represas de característica doce ou salgada. Uma embarcação firme e resistente será sua melhor amiga em qualquer destino.

Antes de comprar…

Há necessidade de verificar alguns pontos importantes para garantir um bom funcionamento do produto.

1. Peso – quando falamos em peso, é a somatória da massa barco com a dos pescadores; sendo preciso contabilizar até os acessórios. Deve-se zelar por este aspecto pois ele confere segurança para que a embarcação não vire.

2. Estabilidade – a depender dos locais que serão explorados são recomendados modelos mais esguios ou mais largos. Para os versáteis ou pouco conhecedores, a dica é apostar no formato em “V”. Ele é coringa para proporcionar um maior equilíbrio, independente do destino. 

3. Altura da borda – este tópico tem relação com os anteriores. A borda é a parte da frente e as laterais do barco. Ela visa proteger das chamadas marolas. Quando a água bate, é dispensada e não inunda o barco. Um veículo com borda maior suporta pesos maiores.

Já que falamos de formatos, chegou a hora de abordar os materiais. No mercado existem diversas opções: das mais modernas, como as de fibra, até as mais clássicas, como as de madeira. Porém, o alumínio, em geral, é o mais mutável e que apresenta maior qualidade para a maioria dos navegadores. Quer saber o porquê?

Quais são os benefícios dos barcos de alumínio?

O alumínio sempre foi uma das ligas mais usadas pelo homem desde a Antiguidade. Ele é condutor, resistente e, ainda sim, maleável. Entre as 3 principais vantagens estão:

1. DURABILIDADE:

Nesta categoria, ninguém os bate. Os barcos em alumínio são mais firmes e dificilmente irão sofrer com problemas como corrosão (ao contrário do que muitos pensam). O pH da água de nenhum dos locais navegáveis tem o poder de desgastar uma embarcação metálica a ponto de prejudicá-la. Ademais, não consta encharque e nem desgaste pelas intempéries do tempo (sol, chuva e ventania, por exemplo).

2. RESISTENTE E COM BAIXO CUSTO DE MANUTENÇÃO:

Os barcos de alumínio (quase) nunca quebram. Eles funcionam equiparados à carros, mas de forma mais robusta. Claro, caso uma colisão muito forte seja sentida, será possível ver áreas uniformes. Em geral, um bom funileiro resolve os problemas e a um preço camarada.

3. MOTORES MAIS LEVES E ECONÔMICOS:

Memorize esta frase: alumínio possui um coeficiente de atrito muito baixo em relação a água. Esta afirmação, que mais parece de um professor de Física do Ensino Médio, tem muito a ensinar. Ao apostar em um barco de pesca, tenha em mente que quanto menor for o confronto entre materiais, menos ele gastará para se locomover. Desta forma, não é preciso um super motor, algo leve já consegue dar conta do recado. E tem mais: o gasto com combustível também é visivelmente reduzido.

Para quem não quer comprar…

Alugar sempre é uma opção. Em pesquisas rápidas através de mecanismos de busca da web, é possível achar estabelecimentos que fazem aluguel da embarcação próximos à sua região, como por exemplo em uma região de pesca esportiva como Itacaiú, ou em diversos lugares do Brasil. Basta consultar preços para saber o que é ou não rentável de acordo com sua demanda (viagens recorrentes ou esporádicas). Os próprio pirangueiros geralmente possuem barcos de pesca motorizados para a prática de pesca esportiva.

Mar calmo faz bom marinheiro, sim!

Cada estado brasileiro tem suas peculiaridades. Nosso país tem a maior disponibilidade de água doce de todo o mundo. Isso é um paraíso para quem ama pesca esportiva. Alguns exemplos de rios que são ideais para navegações são:

1. Rio São Francisco – Minas Gerais, Goiás e o Distrito Federal, Bahia, Pernambuco, Sergipe e Alagoas

2. Rio Negro – Amazônia

3. Rio Araguaia – Goiás, Mato Grosso, Tocantins e Pará

4. Rio Paraibuna – Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo

5. Rio Paraguaçu – Bahia

Agora que você já sabe como dar os primeiros passos para realizar o sonho da pesca, compartilhe conosco suas experiências em água.

Gostou das dicas? Compartilhe com um amigo que gosta de pesca.

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no linkedin